GATITO: O HERÓI DA SEMANA

Seja o primeiro a comentar

O Botafogo não é um time que joga bonito. Sabemos disso!

A beleza desse time está na entrega, doação, raça, comprometimento, união e garra desse elenco que supera as adversidades na marra, na base da vontade e determinação.

Não tivemos uma boa atuação contra o Bahia, perdemos várias oportunidades de matar o jogo e não sofrermos a pressão final que ocorreu, mas esse elenco além de tudo o que descrevi ainda está com muita sorte e também encontrou um grande goleiro para repor as saídas de Jefferson e, posteriormente, Sidão. Gatito é o nome da fera!

Ele chegou desacreditado, falhando em bolas fáceis nos seus primeiros jogos e despertando a desconfiança da torcida. Foi barrado e ganhou uma nova chance em um contexto de extrema adversidade e num jogo importantíssimo contra o Olimpia (fora de casa) substituindo um lesionado Helton Leite no decorrer do jogo.

Entrou frio e numa fria, mas mostrou que o paredão não era líquido e frágil, mas sim firme e sólido como uma verdadeira muralha (não essa que tentam nos empurrar goela abaixo como intransponível). Garantiu nossa vaga nos pênaltis e a titularidade na equipe.

Ganhou confiança com a sequência de partidas e, após nos salvar nos minutos finais do jogo contra o Estudiantes na Libertadores nos garantindo a derrota pelo placar mínimo e a consequente liderança do grupo, ontem aprontou mais alguns de seus milagres para nos garantir a vitória.

Quem acompanha o nosso espaço aqui desde o início sabe o quanto sou fã do Jefferson (o maior jogador do Botafogo que tive o prazer de ver jogar devido à minha idade) e que, pra mim, ele é incontestável, porém seria uma das maiores injustiças do mundo o Gatito ser barrado para a volta do Jefferson parado há mais de um ano, além do risco que o clube estaria correndo em tirar um cara que está em excelente fase para colocar um ídolo que não sabemos como voltará.

Em caso de uma suposta falha do Jefferson, perderia o Botafogo que arriscou uma troca num momento errado, perderia o Gatito que não merece a barração, perderia o Jefferson que será contestado e, aí sim, a própria torcida pediria sua barração e todo esse processo de desgaste pode ser evitado com o nego Jeff sendo banco do Gatito e buscando sua vaga ao longo do ano e mostrando serviço para tal.

Em condições físicas e técnicas ideias, ele recupera essa vaga por mérito (como prega o Jair) e não pelo nome e pela história que tem no clube. Portanto, Gatito, hoje, a camisa 1 é sua por total competência e merecimento pelo excelente trabalho que você vem fazendo.

Vamos à análise dos jogadores:

– Gatito Fernández: O nome do jogo. Fez excelentes defesas durante toda a partida e nos garantiu a vitória em vários lances. Sem dúvidas, uma de suas melhores partidas pelo Botafogo!

– Arnaldo: Vai se soltando e ganhando mais entrosamento com a equipe. Rápido, tem se apresentado como boa opção de velocidade na saída de bola e puxando contra-ataques. Precisa melhorar na marcação para não sobrecarregar o volante que atua ao seu lado.

– Marcelo: Fez boa partida substituindo o poupado Carli e nos deixa tranquilos quanto às opções de zagueiros que temos no elenco. Este é nosso setor mais bem servido de opções!

– Igor Rabello: Vem mostrando que não quer sair dos onze iniciais quando todos estiverem à disposição. Vem fazendo bons jogos e, principalmente, nas jogadas mano a mano tem um aproveitamento espetacular. Hoje, o general é titular ao lado do xerife argentino.

– Victor Luis: Um guerreiro na nossa lateral. A cada jogo que passa sou mais fã desse cara pela luta e entrega que ele tem. Mesmo falhando em alguns lances, ele compensa qualquer falha ou deficiência técnica pela determinação e garra que demonstra. É a cara dessa equipe raçuda, unida e voluntariosa!

– Lindoso: Vem, surpreendentemente, fazendo bons jogos atuando como primeiro volante, uma vez que era meia no Madureira. Ganhou a posição do Airton pela bola que vem jogando e também pela debilidade física do companheiro de posição, além das questões contratuais que, invariavelmente, devem ter algum peso nessa decisão.

– Bruno Silva: Incansável. Mesmo com todas as notícias de suas noitadas e bebedeiras, não deixa brecha para críticas com grandes atuações em sequência. Precisa apenas colocar a cabeça no lugar para não ser expulso frequentemente como aconteceu recentemente, pois acaba ficando marcado por essa arbitragem um tanto quanto corporativista.

– João Paulo: Vem fazendo bons jogos, porém ainda perde muitos passes e não está entregando todo o potencial que tem. Quem acompanhou suas atuações ano passado pelo rebaixado Santa Cruz sabe que ele pode nos ajudar ainda mais do que vem fazendo. Acredito muito no seu potencial!

– Camilo: Tem gradativamente se apresentado melhor a cada partida, principalmente compondo o sistema defensivo, mas na criação fica sobrecarregado como o único responsável e vem apresentando muitas dificuldades em ser o organizador da equipe. Muito por conta do esquema que o sacrifica, não está sendo mais decisivo como em 2016.

– Pimpão: Começa a recuperar sua melhor forma física e, consequentemente, começa também a ter melhores atuações. Ciente de suas limitações técnicas, compensa qualquer dificuldade com vontade e muita luta, mas para isso precisa de uma condição física próxima à ideal e parece estar voltando a tê-la.

– Joel: Esse não existe. Este senhor pode dar um abraço no Sassá e juntos (e por motivos diferentes) podem ir pra PQ…. pro Cruzeiro mesmo. E que sejam muito felizes longe de General Severiano.

– Matheus Fernandes: Entrou na vaga do Camilo devido ao cansaço do companheiro e segurou bem a pressão final do Bahia. É uma excelente opção para entrar no decorrer dos jogos e um dos principais jogadores da base com futuro no profissional do clube.

– Gilson: Entrou na vaga do João Paulo (que saiu sentindo um problema nas costas) para compor a trinca de volantes pelo lado esquerdo e sair em velocidade nos contra-ataques já que não tínhamos mais o Camilo na armação. Com as opções de meia que temos no elenco quando o Camilo sai (com os lesionados hoje, essa opção é nenhuma), faz o que pode para tentar ser efetivo na marcação e talvez ter um lampejo na criação.

– Guilherme: Entrou na vaga do Joel porque jogávamos com 10 durante todo o jogo e para termos velocidade no contra-ataque no fim do jogo. Perdeu algumas oportunidades de jogadas por prender demais a bola e não teve atuação de destaque.

– Jair Ventura: Fez o que dele era esperado quanto à armação da equipe e com as peças que possui disponíveis. Apenas a insistência com Joel (por total falta de opções) é que nos deixa indignados. Como Gorne não figura nem no banco, Tanque é conhecidamente limitado e com Roger poupado, ele não tinha realmente muito o que fazer e isso expõe novamente nossa maior carência, um centroavante. Inclusive, na coletiva, ele voltou a praticamente implorar por uma contratação para o setor pois pagaremos um preço bem alto ao longo do ano se um nome que realmente resolva não vier.

Para finalizar, gostaria exatamente de aproveitar o tema “Contratações”. Todos sabemos que financeiramente não temos espaço para grandes contratações. Por outro lado, estamos muito bem nos três campeonatos que disputamos (Oitavas da Libertadores e da Copa do Brasil, além de estarmos na briga pelo Brasileiro) e esse ano pode se tornar um divisor de águas no clube com a conquista de (ao menos) um destes três.

Contrabalanceando necessidade e possibilidade financeira, acredito que este seja um investimento extremamente necessário de ser feito pelo clube e que a direção possa arriscar um pouco mais na contratação desse nome.

Claro que com responsabilidade para que não tenhamos salários ou impostos atrasados, mas que se procure uma solução viável para que este tiro para a camisa 9 seja certeiro.

Entendemos as dificuldades, mas precisamos também de um pouco de ousadia porque, como diz o ditado, esse ano “o cavalo está selado e essa oportunidade pode não passar duas vezes”.

Vamos Botafogo, torcida, time e diretoria!

Sabemos que a FlaPress fará de tudo para criar o caos e atrapalhar o ambiente e não podemos cair nessa estratégia mulamba.

Sigamos juntos e rumo aos títulos!

Por fim, volto a te convidar a conhecer os novos planos de sócio torcedor do Botafogo. Por apenas R$ 13,90 mensais, você ajuda nosso clube e tem uma série de benefícios no plano básico.

Associe-se em Sou Botafogo. O Botafogo somos nós e precisamos participar do processo de soerguimento do clube.

Saudações alvinegras! – Curta, comente e compartilhe!

Minhas redes sociais:          Twitter          /          Instagram          /          Facebook

Se você gostou, espalhe esta coluna pelas suas redes sociais e nos ajude na divulgação deste espaço.

Sigo com minha bandeira na mão e nosso escudo no lugar do coração!

Publicado no dia

Deixe um comentário! 10


  • Bruno Silva disse:

    Gatito monstro !!!!!!

  • Rafael Padulla disse:

    Thiago, obrigado pela coluna, sempre um prazer ler seus posts, gostaria de seus comentários a respeito dos seguintes temas:

    – Bruno Silva esta sendo perseguido pela arbitragem ? Logo no começo do jogo ele já tomou um cartão amarelo , fiquei com medo de ser mais uma expulsão precoce.

    – Publico 8000 presentes.
    Muito estranho! Era um comentário geral que o estadio estava bem vazio, estive presente no jogo contra o Volta Redonda pelo campeonato carioca e o publico foi bem maior, um outro colunista da Radio Botafogo o “Ze Fogareiro” disse em sua transmissão ao vivo que esperava um publico maior e que a torcida do Botafogo deveria ” comprar” mais a ideia de que todos os jogos são importantes no campeonato Brasileiro. Qual a razão do baixo publico na sua opinião? Sendo superado atá por jogos do estadual.

    Sds Alvinegras!!!!!

    • Rafael,

      Acredito que o Bruno está sim sendo perseguido pela arbitragem. Conforme escrevi, há um corporativismo entre eles e o Bruno está marcado por atingir dois árbitros em um curto espaço de tempo.
      Quanto ao público, acredito que esses 8 mil que lá estavam são aqueles mesmos que nos acompanham desde a série B. Os públicos maiores são dos torcedores que “só vão na boa”, são aqueles que vão nos jogos decisivos e como o Brasileiro não tem esse caráter decisivo no início apesar dos 3 pontos valerem o mesmo que no fim, a galera dá uma desanimada (não que eu concorde com isso, mas acredito que é por aí).
      Além disso, o horário de 19 horas não contribuiu, o fim de mês também tem sua parcela de culpa e também não podemos esquecer da crise financeira do país.
      Toda essa conjunção explica (não justifica) o público de ontem no jogo.
      Abraços!

  • thomas disse:

    Perfeito!
    Eu ainda diria q na única bola em q gatito foi superado, o vitor luiz se colocou muito bem pra salvar a bola em cima da linha.

  • OLAVO disse:

    Vou ser franco logo duma vez o BOTAFOGO Ta com pinta de Campeao esse ano 2017 da Libertadores essa taça a anos estamos desejando o time ta se esforçando muito garra e vontade determinaçao jair ventura o cara e o time ta bem gatito bruno silva pimpaó camilo victor luis ,enfim aguardem tenho reparado nisso nos jogos algo bom vem ai ,

  • Evandro disse:

    Excelente atuação
    Depois da disputa de pênaltis, tem Aparecido muito bem…
    Nas horas que a bola passa a sorte tem o acompanhado, todo bom goleiro anda lado a lado com a sorte
    Que renda uma saudável disputa com Jefferson

    • Obrigado pelo comentário, Evandro!
      E você tem toda a razão. O Botafogo ganhou muito mais do que a vaga na fase de grupos após aquela disputa de pênaltis, ganhou um goleiro de nível de seleção para todo o ano.
      Abraços!