LESÃO MUSCULAR, A CULPA É…

Seja o primeiro a comentar

Faaaaala Galera,

Voltei com minha coluna para um tema intrigante, preocupante e sem fim. O que Gatito Fernandes (Adutor da coxa direita), Helton Leite (Lesão coxa direita), Marcelo (Lesão grau 2 coxa direita), Carli (Contratura muscular), Matheus Fernandes (Estiramento na coxa), Leandrinho (Estiramento​ na coxa), Montillo (Coxa direita) e Camilo (Adutor da coxa) tiveram em comum no ano de 2017? Não sabe?A dica está nos parênteses.

LESÃO MUSCULAR!

Exatamente 8 jogadores já apresentaram problemas musculares no ano de 2017. É pouco? É muito? Antes de me aprofundar na polêmica, quero deixar claro que a ideia da coluna é buscar informações reais, estatísticas, comparativos e não acusar ou causar qualquer polêmica desnecessária.

A grande maioria do torcedor botafoguense coloca em dúvida a qualidade do departamento médico do clube (incluo no departamento médico, o setor de fisiologia e de preparação física), enquanto Jair Ventura e os jogadores, culpam a falta de tempo na pré -temporada aliada a intensidade de jogo dos jogadores durante a partida. Quem tem razão? Vamos colocar algumas questões e contrapor com notícias, informações ou vídeos e claro, VOCÊ , é quem vai tirar suas conclusões.

O BOTAFOGO NÃO TEVE TEMPO NA PRÉ -TEMPORADA.

Ao fim de 2016 o site globo.com publicou uma matéria relacionada a contusões, que você pode ler AQUI . Falando apenas de lesões musculares, o Botafogo no ano de 2016 teve exatos 31 lesões na coxa, perdendo neste quesito apenas para o São Paulo com 34. Não há registros de falta de tempo na pré-temporada de 2016. Na mesma reportagem, gostaria de trazer duas declarações importantes para o tema:

O ex-médico da seleção brasileira e do Flamengo, José Luiz Runco, ressaltou a importância de um Centro de Reabilitação de atletas da melhor qualidade possível. Segundo avaliou, os clubes brasileiros já entenderam isso e têm buscado investir na estrutura de seus CTs (Centros de Treinamento).

– Um Departamento Médico dá uma sustentação muito grande para que um clube possa se desenvolver porque todas as competições hoje são longas. O Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil e agora a própria Libertadores são longos. Então, se você não tiver um Departamento Médico, em que as pessoas dali saibam fazer, principalmente, prevenção (de lesões), você vai ter desgaste. É necessário também ter uma estrutura para oferecer um bom tratamento ao atleta.

A outra declaração é do chefe do departamento médico do Flamengo (Clube com o menor número de lesões musculares em 2016 e sem nenhuma lesão muscular até agora, em 2017) Márcio Tanure:

Márcio Tannure relatou que o sucesso do clube com as poucas lesões no ano foi fruto de um trabalho multidisciplinar, de todos os setores do futebol, comissão técnica e Departamento Médico.

– A fisioterapia faz um trabalho preventivo que soma para o trabalho da preparação física, e  conseguimos fazer o controle de carga dos treinos, que é de suma importância a fim de que não façamos esforços nem para mais, nem para menos, e consigamos evitar lesões durante os treinamentos. Lógico que há as lesões traumáticas, que são inerentes a um esporte de contato como o futebol. E estas não têm relação com o controle de carga, não temos como prevenir, mas mesmo assim conseguimos diminuí-las por conta do nosso trabalho preventivo realizado desde a pré-temporada, com exercícios individualizados focados na qualidade e na correção dos movimentos de cada um.

O BOTAFOGO NÃO TEM APARELHOS QUALIFICADOS PARA PREVENÇÃO DE LESÕES.

Uma outra linha de raciocínio, cobra um maior investimento do clube para a área médica. No início do ano a RÁDIO BOTAFOGO fez uma entrevista especial com o presidente Carlos Eduardo Pereira que você pode acompanhar AQUI . Durante a entrevista o tema foi abordado, como você pode ver abaixo:

Já durante a disputa da Libertadores, o clube anunciou mais investimentos no Estádio Nílton Santos. Bota vai investir R$ 3 mi para estruturar dependências do Nilton Santos.

O BOTAFOGO TEVE  QUATRO FINAIS NO COMEÇO DO ANO.

Outro ponto bastante falado para justificar o excesso de contusões musculares ( e plausível) é a fase da pré -libertadores que proporcionou 4 jogos decisivos já em fevereiro. A título de comparação, fui buscar o número de lesões musculares dos 10 principais clubes do Brasil em 2017 ( não foi incluído o Internacional ) e também do Atlético Paranaense, que passou pela mesma situação do Botafogo no início do ano.

CONFIRA A LISTA ABAIXO:

 

ATLÉTICO – PR   – 2 LESÕES

ATLÉTICO – MG – 2 LESÕES

CRUZEIRO – ZERO LESÕES

GRÊMIO  – 5 LESÕES

PALMEIRAS – 1 LESÃO

SANTOS  – 3 LESÕES

CORINTHIANS  – 2 LESÕES

SÃO PAULO  – 2 LESÕES

FLUMINENSE  – 2 LESÕES

VASCO  – 4 LESÕES

FLAMENGO – ZERO LESÕES

 

        

           8 lesões

 

Outros clubes já investiram e tiveram resultados animadores. O Santos em 2015 fez um trabalho inovador na área de prevenção:

enquanto o Palmeiras seguiu pelo mesmo caminho em 2016 Palmeiras reduziu lesões em quase 60% em 2016 .Vale ressaltar que o BOTAFOGO vem buscando sanar o problema e o mesmo foi inclusive abordado no BOTAFOGO TV. 

Assista abaixo:

Para terminar, é vital saber que o jogador de futebol tem papel fundamental no processo fazendo os exercícios corretos, informando qualquer incômodo, descansando, buscando informações sobre carga de trabalho e atuando em conjunto com os profissionais para buscar o melhor do seu equipamento, o CORPO. De minha parte, vendo de fora, fico com a impressão que faltam melhores equipamentos, melhor sinergia entre os setores e uma maior cobrança da diretoria com os profissionais para diminuir a incidência de contusões. E você? Qual a sua opinião? Participe, opine e ajude a identificar, cobrar e melhorar sempre​ nosso amado Botafogo.

SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!

@rodrigofalcao

#DubaiMeChama #Glorioso #LibertadoresEuVouGanhar

 

 

 

 

 

 

 

Publicado no dia

Deixe um comentário! 3


  • Celio disse:

    Certos fisioterapeutas julgam que o desempenho ótimo de um atleta depende de exercícios muito puxados e, com isto, levam a musculatura da perna e da coxa à exaustão. Neste caso os músculos ficam muito distendidos e, consequentemente mais expostos a lesões. Não se sabe onde são contratados os profissionais da área esportiva, mas creio que o melhor seria que fossem buscados nas Faculdades de fisioterapia intensiva voltada exclusivamente para o futebol. Pesa também o compadrio e a politicagem de amigos muito comum nessa área.

    • Rodrigo Falcão disse:

      Célio, obrigado pela opinião. Na realidade busquei informações. Não tenho conhecimento médico para opinar. Também desconheço apadrinhamento na contratação de profissionais do clube. Abraço amigo.

  • Helio Fernando Santos disse:

    A verdade é que tudo deu errado. Tentaram fazer o certo mas infelizmente não deu. Naminha opinião o CEP devria dispensar todos e contratar outros profissionais.