O EXTERMINADOR

Seja o primeiro a comentar

Alô galera alvinegra! Otto na área feliz da vida com esse time. Afinal, que time é esse? Eliminamos mais um monstro esse ano. O galo pra mim tem um dos melhores elencos das Américas. Time com melhor campanha na Libertadores. Dois jogadores pagam nossa folha salarial inteira, no entanto quem venceu a partida? Alguém me explica? Acredito que apenas com exceção do Sport, todos os times que eliminamos esse ano, tinha um elenco mais forte que o nosso no papel. Talvez por isso a mulambada está batendo no peito dizendo que o time deles é melhor. Cuidado, hein. O exterminador chegou.

Agora sério, esse Botafogo precisa ser estudado. O Botafogo do azar em lances decisivos passou a ter a sorte da cabeça do Jefferson. Aquela mesmo dos dedos salvadores do Wagner. O Carli faz gol e mete pé na porta como o valente Sandro. O Rabello é um xerife. O Victor Luis joga com uma raça imensa. O Emerson Santos mesmo errando acerta. Como o jovem Matheus Fernandes é maduro e calmo. E você aí achando que o Airton simbolizava a serenidade e experiência desse time. De onde veio Lindoso, meu Deus? Cobre e dá passes com a mesma habilidade. O Bruno Silva conecta tudo a isso a bravura dos nossos atacantes. E o que falar do João Paulo? Onipresente. Quando você acha que ele cortou a cabeça na zaga, ele aparece no ataque de cabeça erguida. Tem alguém aí com saudade do Montillo? E o Pimpão que cuida daquele canto esquerdo do ataque como aqueles antigos ponta-de-lança. Mas, se for preciso ele se joga de carrinho. Roger, que evolução no seu futebol. Um cara que mostrou ser extremamente solidário dentro e fora dos gramados. Quando tudo se complica e parece impossível, aparecem ainda Gilson, Guilhermes, Gatitos, nossos 3Gs. Os caras que decidem de forma milagrosamente diversas partidas. Junta tudo isso e joga na mão do Jair. Até mesmo, a saída dos nossos melhores jogadores creio que foi benéfica. Pronto, formou-se um segredo de jogar futebol que até hoje meu queixo cai e meu coração dispara.

Lembro sempre da data que passei a noite fazendo contas com a turma da Rádio Botafogo imaginando se o sonho da Libertadores chegaria. Era algo muito, mas muito distante. Isso tem só alguns meses. Porém, sonhava em jogar a Libertadores novamente. Sonhava com nosso time ter mais de 30mil STs. Sonhava com um estádio com a nossa cara. Isso tudo há poucos meses atrás. Não faz nem um ano. Sonhava tanto, que acreditei que só indo visitar Papai Noel isso viraria realidade. Não é esse Papai Noel do shopping não. O Papai Noel lá da Finlândia que eu tô falando. Fui lá e levei uma camisa para ele. Fiz meu pedido. Não bastasse essa loucura, fui até a Letônia para encontrar com Dalai Lama. Sim, o próprio. E fiz a mesma coisa. Levei uma camisa do Botafogo para ele abençoar. Ele se ajoelhou, sorriu e fez uma reverência. Você ainda tem dúvidas de onde vem tanto milagre? O segredo desse Botafogo é ter todas energias em um time só. Temos o pé na porta do Sandro, os culhones do Loco Abreu, a sorte do Túlio, a experiência de um Seedorf em um time só. Com outros nomes e artistas. A torcida de forma mágica abraça e só agradece. Não quero acordar desse sonho jamais. Ele está sendo muito melhor do que imaginava. Uns dirão que vai ser sorte, outros milagre. Mas, cada um de nós sabe lá no fundo o que fez para a gente chegar até aqui. Onde isso vai parar? Sei lá. Se for feito a vontade do Papai Noel, o sonho costuma acontecer em dezembro, se for a do Dalai Lama, pode ser que seja algo eterno. E aí, Botafogo, aonde podemos chegar? Hasta la vista, baby.

Publicado no dia

Deixe um comentário! 1