RUIM, MAS TÁ BOM

Seja o primeiro a comentar

Alô galera alvinegra! Otto na área chegando por aqui. Que misto de sensações foi essa nossa última partida. Tive o prazer de me juntar aos dois mil botafoguenses no Pacaembu. Me senti em casa. Aquele estádio só traz memórias boas, mesmo sendo a minha primeira vez assistindo um jogo ali dentro. O ritual de ir a um jogo fora de casa sempre gera um frio maior na barriga. Fica uma sensação de estar pisando em território inimigo mesmo com milhares de botafoguenses lá dentro, o entorno é de caminhar olhando para cada um dos lados. Depois que entra e encontra os irmãos de camisa, realmente tudo fica bem mais calmo e melhor. E a nossa torcida deu um show à parte.

Era o terceiro time do Botafogo em campo. Mesmo assim todos ali estávamos confiantes. Como pode isso? Essa mudança de padrão tático e treinamento nos levou a isso. Antigamente entrava um reserva e o desespero em todos já era notório. Quem nunca ficou com frio na espinha com aquelas substituições de Renan Fonseca, Rodrigo Souto, etc. Para ter uma ideia, jogamos com Arnaldo (4o lateral reserva), Gilson (3a opção), Fernandes e Matheus Fernandes (Reserva do reserva). O Helton Leite (3o goleiro) prefiro nem comentar. Sem contar que João Paulo e Rabello eram considerados reservas há um mês atrás. Jogamos para vencer. E por pouco não ganhamos. Analisando friamente, a vitória seria um feito mágico. O Botafogo jogando contra o santos eles com 2 desfalques apenas no Pacaembu dando sufoco. Esse foi o jogo. 80 minutos da partida foi assim. O Botafogo mereceu muito a vitória. Por isso, a sensação da derrota foi horrível. Não podemos deixar escorrer 3 pontos pelas mãos dessa forma se queremos brigar lá em cima.

Por outro, agora pense friamente. Qual seria o resultado natural desse jogo? Então, por méritos nosso, o Botafogo hoje joga de igual para igual com qualquer time. Não importe quem entre em campo com nosso manto. O mais difícil de conseguir hoje em dia, nós temos. Padrão de jogo, conjunto, comprometimento e versatilidade. Isso merece muitas palmas. Óbvio que o nosso time reserva já é fraco tecnicamente, o terceiro então nem se fala. Agora qual terceiro time de qualquer clube faz isso que nós estamos fazendo? Tem muito clube aí com elenco titular de zilhões brigando com a torcida e quase na zona da degola. É claro que ninguém gosta de perder. Mas, uma coisa que sempre cobro aqui é planejamento. Então, perder jogo fora e ganhar em casa é planejado. Brigar para se classificar na Libertadores é planejado. Se classificar na Copa do Brasil é planejado. E conseguimos. Para seguir nessa toada, acredito que vamos precisar nos reforçar para ontem. Já estamos em nosso limite, infelizmente. Com pouco dinheiro e muitos campeonatos, a matemática não fecha mesmo. Cada jogo é um milagre. E nem sempre eles vão acontecer. Sabe o que me conforta? Tudo bem, se o milagre não acontecer contra o santos fora. Até entendo. Agora no resto, eu vou querer ele sempre do nosso lado. Essa é minha mentalidade. Se for para desperdiçar os dias de milagre, que sejam nesses momentos.

A mentalidade positiva não pode acabar nunca. Estamos batendo recordes de ST, vendas de camisa, presença em estádio. Existe uma energia diferente no ar. Não sei explicar, mas tem. Vamos juntos domingo rumo ao novo desafio. Futebol é assim. Em um dia o Pimpão perde aquele gol, no outro dia ele marca um outro salvador que nos classifica. Isso aqui é Botafogo. Pra cima deles. Tô na área!

Publicado no dia

Deixe um comentário! 0