TIVEMOS UM ATAQUE… CARDÍACO!

Seja o primeiro a comentar

Antes do apito inicial e com a quantidade de desfalques que tínhamos, acredito que a imensa maioria da torcida ficaria bem satisfeita com o empate no Pacaembu devido às circunstâncias. Estávamos sem Gatito, Jefferson, Luis Ricardo, Marcinho, Jonas, Victor Luis, Emerson Silva, Airton, Bruno Silva, Buchecha, Camilo, Guilherme e Sassá. Mais que um time, 13 jogadores e com muitos nomes que em condições seriam titulares dessa equipe.

Quando a bola rolou, percebemos que o Santos não era nenhum bicho papão e que era possível vencer. O Botafogo fez uma boa partida mantendo uma postura tática e a mesma organização já costumeira. Por outro lado, seguiu apresentando as mesmas deficiências que também já conhecemos.

Na segunda-feira, critiquei o Roger por perder um “gol feito” e que revoltou a todos nós. Nunca imaginaria que na quarta-feira veria o Pimpão perder um mais feito ainda.

Da mesma forma, o Pimpão não poderia ter desperdiçado esta oportunidade. Atacante que se preze bate aquela bola e sai pro abraço com a torcida. Definitivamente, não pode!

A única diferença que faço nestes dois casos é que o Pimpão tem crédito. Não podemos ser ingratos e esquecer tudo o que ele fez por nós neste primeiro semestre e no ano passado.

Basta lembrar que criticamos bastante este mesmo Pimpão após perder chance clara contra a mulambada ano passado e poucos dias depois estávamos nos desculpando com ele pelas redes sociais por mais um gol salvador na nossa luta pela vaga na Libertadores. Não podemos manter esta bipolaridade na avaliação! A #nuncacritiquei é engraçada, mas revela como é preciso avaliar a importância de cada jogador o elenco.

No calor do jogo, é claro que eu xinguei muito o Pimpão, mas, como já disse, ele tem muito crédito e, assim como ano passado, estaremos agradecendo a ele mês que vem pelo gol da classificação às quartas de final da Libertadores. Um dia após o outro e em todos o nosso apoio ao Fogão!

Não podemos também deixar de novamente ressaltar que esta deficiência no ataque não é nova. Há meses a torcida pede contratações para este setor, pois vamos desperdiçando pontos importantes pelo caminho e essa conta pode ser cara no final do ano ou em algum momento decisivo dos mata-matas.

Alô diretoria! Vamos coçar o bolso, usar a criatividade, fazer as trocas necessárias e trazer soluções imediatas que possam resolver ali na frente e empurrar a bola pro barbante nas oportunidades que temos criado.

No fim do jogo, o castigo veio justamente por esta falta de opções de qualidade no elenco. O execrável goleiro Helton Leite provou novamente que não reúne condições de vestir o manto alvinegro sagrado e entregou de bandeja o ponto que traríamos na bagagem nessa ponte aérea.

A bola puniu quem não foi competente para garantir o resultado e premiou quem tentou vencer até o fim. Tudo bem que o apiteiro também ajudou, mas a responsabilidade pelo resultado negativo veio da nossa própria incapacidade em resolver a parada antes.

Vamos à análise dos jogadores:

– Helton Leite: Espero ter visto sua última atuação pelo Botafogo. Com a iminente volta do Jefferson e a excelente fase do Gatito, nos resta apenas aguardar que o contrato dele chegue ao fim e não seja renovado.

– Arnaldo: Após algumas partidas, já é possível avaliar um pouco melhor as atuações dele. Sua velocidade é sua arma mais forte, mas falta qualidade técnica para garantir uma vaga no time titular. Pela nossa total falta de opções vem quebrando um galho, mas com a volta do Luis Ricardo será uma importante e barata peça para compor o elenco.

– Carli: Fez boa partida apesar de algumas cochiladas ali na nossa cozinha. Não comprometeu e segue sendo nosso confiável xerife.

– Igor Rabello: O General, por outro lado, vem em franco crescimento na equipe. Outra grande atuação e a cada jogo vem ratificando sua condição de titular e de possível revelação do Brasil no ano.

– Gilson: Assim como Arnaldo, não pode ser considerado uma peça descartável, mas também não reúne condições de ser titular. Com a lesão do Victor Luis vem ocupando a vaga, mas possui o mesmo perfil do seu companheiro do outro lado. Bom e barato para compor o elenco.

– Lindoso: Fez excelente partida sendo o melhor em campo ao meu ver. Lúcido, organizador, centrado e sério na nossa trinca de volantes. Ratifica que uma das vagas é dele pelo atual momento que vive.

– Fernandes: Entrou em campo? O apelido de soneca do garoto, não é à toa. Outro que espero ter visto pela última vez vestindo a camisa do Botafogo porquê de preguiça já chega a que eu sinto quando acordo e tenho que levantar cedo para trabalhar diariamente.

– Matheus Fernandes: Grata revelação da nossa base. Em breve será um dos titulares incontestáveis dessa equipe. De futuro brilhante já previsto mesmo antes de subir, vem mostrando que a confiança nele depositada tem grandes chances de nos trazer real retorno.

– João Paulo: Novamente mal como meia da equipe. A ideia de improvisá-lo no setor por ele já ter atuado assim no Santa Cruz era a melhor possível dentre as opções, mas se mostrou ineficaz e precisa ser mudada caso voltemos a não contar com a dupla Camilo e Montillo. Como volante vinha muito bem, mas na criação deixou a desejar novamente.

– Pimpão: Mal. Além de perder a chance mais clara do jogo, não foi efetivo nem para puxar os contra-ataques da equipe durante a partida. Pareceu abaixo do que pode fisicamente e errou muito mais do que costuma errar.

– Roger: Segue brigando lá na frente e lutando por uma bola que sobre para ele em condições. Nesta partida, recebeu diversas tijoladas com uma mensagem de “se vira” colada em cada uma delas. Apesar de não ser fã dele e de considerar que ele é, no máximo, um bom reserva, não dá para culpá-lo pelo recente resultado.

– Dudu Cearense: Deveria ter começado como titular na vaga do inoperante Fernandes, mas entrou apenas faltando dois minutos no lugar do Lindoso para que o Jair pudesse ganhar algum tempo antes do apito final e nos garantisse o empate que acabou não vindo.

– Montillo: Jogou 25 minutos e não foi decisivo neste curto espaço de tempo. Voltando de contusão e ganhando ritmo de jogo, esperamos que possa nos ajudar e ser mais efetivo. Ao menos com sua entrada, passamos a ter 11 em campo com a saída do Fernandes.

– Pachu: Novamente recebeu uma chance e mais uma vez não mostrou a que veio. Franzino e de inteligência aparentemente limitada, não vem correspondendo e nem justificando as chances que tem recebido. Até por isso, a torcida cobra chances ao Renan Gorne, que foi o único jogador do elenco que até hoje não recebeu nenhuma chance mesmo sendo jogador de origem na posição que mais precisamos.

– Jair Ventura: Com tantos desfalques, escalou uma equipe que manteve nossa organização tática com as peças que tinha disponíveis. Com exceção da escolha pelo Fernandes (que nunca conseguirei entender como uma escolha viável), o restante do time era o possível de se escalar. Mesmo com a opção pelo “soneca”, não podemos responsabilizá-lo pelo resultado, uma vez que nosso treinador vem fazendo o que pode com o elenco que possui e cobrando publicamente a diretoria por reforços, já que sem material humano de qualidade ele não tem como fazer milagres.

Agora temos o Coritiba às 11:00 no domingo na nossa casa. Contamos com a torcida em peso e vamos em busca dos três pontos que são importantíssimos para que possamos nos manter no pelotão de cima do campeonato.

Nosso apoio é imprescindível e a volta de alguns desfalques extremamente necessária para que tenhamos um time mais qualificado e com maiores condições de alcançar os nossos objetivos.

A derrota foi dolorosa e, até certo ponto, injusta, mas cabe apenas a nós mesmos reverter esta situação já na próxima partida.

Sigamos juntos e rumo aos títulos!

Por fim, te faço dois convites:

O primeiro de assistir e compartilhar o link da campanha: Camile Vitória para que possamos atingir a nossa meta.

O segundo de te convidar a conhecer os novos planos de sócio torcedor do Botafogo. Por apenas R$ 13,90 mensais, você ajuda nosso clube e tem uma série de benefícios no plano básico.

Associe-se em Sou Botafogo. O Botafogo somos nós e precisamos participar do processo de soerguimento do clube.

Saudações alvinegras! – Curta, comente e compartilhe!

Minhas redes sociais:          Twitter          /          Instagram          /          Facebook

Se você gostou, espalhe esta coluna pelas suas redes sociais e nos ajude na divulgação deste espaço.

Sigo com minha bandeira na mão e nosso escudo no lugar do coração!

Publicado no dia

Deixe um comentário! 6


  • José Gabriel Amoril disse:

    Concordo em praticamente tudo, Thiago mas, sem implicância, para mim, o Lindoso é muito limitado. Roger é nota ZERO. Tem horas que ele joga de beque para o adversário de tão ruim que é. Definitivamente perdi a paciência com ele. Helton Leite não é jogador e nunca foi jogador de futebol mas FILHO de jogador…

    • José Gabriel,

      O Lindoso vem fazendo grandes partidas neste último mês. Também sempre achei ele limitado, mas perceba como ele melhorou. Provavelmente, você não reparou nessa mudança pela imagem que já tem dele.
      Discordo do Roger ser nota zero, ele é limitado, mas seria um bom reserva, o problema é que o esquema já não ajuda e ele é limitado.
      Quanto ao Helton Leite, concordo 100%.
      Abraços!

  • diego disse:

    Helton Leite, ele erá titular até ter uma lesão, vinha bem erá o goleiro titular no lugar do gatito, e agora o mesmo não serve pra nada, mas concordo que prefiro o Jefferson nas próximas partidas ?! Defendo sua saída para abrir espaço no orçamento é da chances para um 3 goleiro da base, não somente por técnica.

    Acompanhei a partida pelos momentos no celular, então não sei pq o jogo foi ate os 50 minutos, o gol surgiu de uma falta boba, a derrota veio por incompetência do ataque que teve mais de uma chance de sair na frente.

    Temos um grande problema de criação é finalização.

    • Diego, o Helton Leite era titular por total falta de opção, ele nunca teve essa boa fase que você citou.

      Inclusive, no jogo em que ele se machucou, ninguém sabia quem seria o titular antes do apito inicial. Gatito vinha em má fase e o Jair optou pelo Helton.

      Além disso, me sinto confortável em criticá-lo porque essa é minha opinião há meses e isto está registrado nas colunas anteriores.

      Quanto aos demais pontos do seu comentário, também concordo que o ataque teve grande influência no resultado.
      Abraços!

  • Evandro disse:

    Sempre uma análise fera!!!
    Parabéns rapaziada