Redes Sociais

Bruno Antunes

DECISÕES EQUIVOCADAS ANTES, DURANTE E DEPOIS DO JOGO

Publicado

em

Odeio ser o cara que usa essa frase, mas é a pura verdade: eu avisei!

Avisei no nosso Botafogo no Ar (que rola toda segunda às 21:15, ao vivo, agora pelo Facebook) que não era a hora de mudar o esquema para jogar com três atacantes sem nunca ter testado isso, ainda mais quando o ponto forte do adversário é justamente jogar nos contra-ataques.

Sei também que não sou o dono da verdade e que fui contra a efetivação do próprio Jair à época e ele provou ser extremamente competente nesse período.

Mas ontem ele errou, errou feio, errou rude!

Foi soberbo, inclusive, nas alterações, não assumindo que a formação não deu certo e, o pior, deu entrevista coletiva após o jogo dizendo que não jogamos com três atacantes e que o time jogou como vinha jogando em casa. Aí não Jair, aí não!

Se você cometeu esse erro tentando acertar (mesmo que alguns tenham te avisado que a chance de dar errado era enorme), ok, acontece e você não vai acertar sempre, mas humildade para assumir seus erros e hombridade de voltar atrás e seguir no caminho que vinha dando certo é essencial e mais importante do que um resultado negativo isolado.

Não nos chame de burros e nem seja dissimulado nos dizendo que você não mudou o esquema. Assuma que não deu certo e sigamos juntos em busca da vitória e da classificação no próximo jogo. Não nos faça de bobos e ignorantes e não venha com esse discurso.

Você ontem não errou só na beira do campo, errou na coletiva, nas palavras e, até certo ponto, nas atitudes ao responsabilizar os jogadores pelo resultado.

Tudo que não queremos agora é um elenco rachado ou que você perca a confiança dos jogadores por declarações como as de ontem. Muita calma que a vaga está em nossas mãos e só dependemos de nós mesmos.

Sobre o jogo, nem de longe vimos o Botafogo de 2017. Um bando em campo jogando de forma desorganizada por conta do esquema escolhido contra um adversário bem postado defensivamente e fatal nos contra-ataques.

Com menos de dez minutos, sofremos o primeiro numa falha do Carli, justamente pela exposição da zaga. O Carli é um xerifão com a zaga postada, mas não tem velocidade para correr atrás de atacante e com a zaga adiantada, ele se torna um zagueiro lento.

Minutos depois foi a vez do Gatito sair mal do gol e jogar uma pá de cal nas nossas chances de vitória.

Não estou aqui pregando demissão de ninguém e nem caça às bruxas. Foi um jogo em que várias decisões erradas foram tomadas em sequência e isso refletiu na nossa derrota, mas precisamos apenas de calma, humildade e resiliência para voltarmos aos trilhos!

Vamos à análise dos jogadores:

– Gatito Fernández: Fechou mal o ângulo no primeiro gol, falhou no segundo e ainda falhou numa saída da pequena área em que chegou atrasado e o Emerson Silva salvou o que seria o terceiro quase em cima da linha. Teve uma péssima noite.

– Emerson Santos: A lateral que ele ocupava foi uma avenida. Foi muito mal na posição, mas merece um desconto por estar jogando improvisado. Por outro lado, está pedindo salário de craque e apresentando futebol de sub-20. Não acredito na sua permanência, pois está forçando a saída há mais de um ano e pedindo valores absurdos e abusivos justamente para que o contrato acabe e ele saia de graça. Que seja feliz longe daqui!

– Joel Carli: A zaga teve que jogar mais adiantada por conta da mudança de esquema e teve atuação muito prejudicada justamente por não ter velocidade. Falhou no primeiro gol e perdeu dezenas de disputas tanto por cima quanto por baixo. Teve péssima noite e foi outro que estava irreconhecível.

– Emerson Silva: Assim como o companheiro de zaga, falhou demais. Já escrevi aqui várias vezes que ele tem bom rendimento jogando ao lado do Carli, mas com o Carli irreconhecível teve atuação muito ruim também.

– Victor Luis: Um ponto fora da curva. Como joga bola esse nosso lateral. Consistente em quase todas as partidas, mantêm sempre uma regularidade e se sobressai pela garra, disposição e luta incessante. Foi um dos melhores em campo.

– Airton: Vinha fazendo boa partida embora não tenha sido brilhante. Assim como o próprio jogador, não entendi a sua substituição. Com o amarelo que recebeu está fora da próxima partida.

– João Paulo: Fez boa partida na medida do possível. Explico: Cumpriu a função que vem desempenhando, porém, com apenas dois volantes, ele precisaria marcar melhor e ser mais assertivo nos passes, porém não possui características tão combativas quanto seus concorrentes de posição e errou muitos passes durante o jogo. Entretanto, foi um dos que mais lutou e que não se escondeu mesmo com a dificuldade em cumprir o que lhe foi designado.

– Camilo: Começou relativamente bem e depois sumiu. Não consigo entender como o cobrador oficial de faltas, pênaltis e escanteios da equipe não consegue fazer uma cobrança pelo alto ou que chegue à segunda trave. Todo cruzamento é rasteiro e mal executado. Vamos treinar mais e nos preocupar menos com as dancinhas?

– Guilherme: Por incrível que pareça e mesmo perdendo as melhores chances no jogo, foi um dos melhores em campo ofensivamente. Tentou driblar, finalizar, correu muito, mas, na maioria das vezes, tomou as decisões erradas no momento de definir se tocava, chutava ou driblava.

– Pimpão: Desaparecido a uns quatro jogos vem se escondendo numa lateral ofensiva e, inexplicavelmente, teve queda vertiginosa de produção. Pelo que apresentou nos últimos jogos, acabará perdendo a vaga para o Guilherme.

– Sassá: Vou me conter para manter o nível do nosso espaço ao falar sobre este cidadão. Minha vontade era escrever uns cinco ou seis palavrões diferentes que conheço para me referir a ele, mas não o farei porque, você que está aqui nos acompanhando, não merece essa postura. Eu resumo tudo o que penso e sinto por ele da seguinte forma: Provando novamente ser um jogador de segundo tempo, teve atuação apagada. Por conta de toda sua postura dentro e fora de campo perante o elenco, eu espero que, vendido (preferencialmente) ou de graça, você suma e nunca mais tenha a honra de vestir essa camisa gloriosa.

– Marcelo: Entrou no lugar do Emerson Silva e por ter mais velocidade melhorou bastante nosso sistema defensivo. Acabou tomando um amarelo que o tira do próximo jogo.

– Fernandes: Entrou no lugar do Airton já no fim e não há o que se comentar.

– Roger: Entrou no lugar do Camilo e se esforçou para ajudar o ataque. Perdeu gol incrível, mas espero que volte ao time titular já no nosso próximo compromisso.

– Jair Ventura: Basicamente escrevi toda a coluna sobre ele. Como já dito, foi mal na escalação alterando a formação tática para uma nunca usada e ainda contra um adversário bom justamente nos contra-ataques. Fez substituições incompreensíveis, alterando o já equivocado, 4-2-1-3 para um 4-2-4 sem meias de criação e ainda apostando no Fernandes para tentar alguma cartada final, algo que claramente não se pode chamar de “salvação”. Substituiu o Airton que vinha bem e colocou o Roger na vaga do Camilo (???). Estava perdido e sem opções no banco justamente por ter entrado com o time errado. Porém, independente de todos os erros no campo (que são passíveis de acontecer embora nunca os desejamos), a sua pior participação foi aos microfones defendendo o trabalho realizado para esta partida e absolvendo a formação pela derrota. Não Jair, não! Espero sinceramente que você tenha colocado a cabeça no travesseiro, refletido muito e hoje possa ver claramente o quanto você teve um dia infeliz ontem.

Humildade, resiliência e estar aberto para receber as críticas (e não só os elogios) é essencial!

Agora teremos dez dias de descanso até a estreia fora de casa, dia 14/05 às 19:00, contra o Grêmio pelo Campeonato Brasileiro. Tempo importante para recuperar os lesionados, aprimorar a condição física do elenco, refletir sobre os erros cometidos e começar o Brasileiro com o pé direito.

A nós, torcedores, nos resta torcer para que o trabalho volte aos trilhos, pela volta de Jefferson e Luis Ricardo (será que agora vai?) e pela vitória contra o Atlético Nacional aqui no nosso estádio para carimbarmos a vaga e podermos respirar aliviados com mais uma barreira vencida.

Chegaremos à fase de mata-mata das oitavas e este jogo terá ficado apenas como lição para treinador, elenco e também para parte da torcida que, momentaneamente, esquece que nosso time não é brilhante tecnicamente, é apenas unido, brigador e muito forte coletivamente.

Até as próximas batalhas e como sempre digo, sigamos juntos!

Por fim, volto a te convidar a conhecer os novos planos de sócio torcedor do Botafogo. Por apenas R$ 13,90 mensais, você ajuda nosso clube e tem uma série de benefícios no plano básico.

Associe-se em Sou Botafogo. O Botafogo somos nós e precisamos participar do processo de soerguimento do clube.

Saudações alvinegras! – Curta, comente e compartilhe!

Minhas redes sociais: Twitter / Instagram / Facebook

Se você gostou, espalhe esta coluna pelas suas redes sociais e nos ajude na divulgação deste espaço.

Sigo com minha bandeira na mão e nosso escudo no lugar do coração!

Bruno Antunes

21 Comments

Newsletter

Anúncio Patrocinado

Facebook

%d blogueiros gostam disto: