Redes Sociais

Colunas

LOCO ABREU: MUITO MAIS QUE UMA CAVADINHA…

Publicado

em

Washington Sebastián Abreu Gallo, o nosso Loco Abreu, nasceu em 17/10/1976 em Minas, uma pequena cidade localizada a 120 km de Montevideo, com cerca de 40 mil habitantes, capital do departamento de Lavalleja.

INÍCIO DA CARREIRA

Começou no Defensor, na temporada 1994–1995, onde conquistou a Liguilla Pré-Libertadores, competição disputada no Uruguai, visando a classificação para os torneios sul-americanos.

Após 46 partidas e 31 gols (sendo 6 naquela edição da Libertadores da América) pelo Defensor, na temporada seguinte transferiu-se para o San Lorenzo (Argentina). Seus 43 jogos e 33 gols na Argentina chamaram a atenção do La Coruña (Espanha), que o levou para jogar por empréstimo.

O CIGANO DO FUTEBOL

Jogando apenas 15 partidas pelo La Coruña, mas ainda assim fazendo 9 gols, foi emprestado para diversos clubes ao longo do seu contrato na Espanha.

Em 1998 teve uma passagem rapidíssima pelo Brasil, defendendo o Grêmio (apenas 7 jogos e 1 gol).

Na temporada 1999–2000 foi para o México defender o Tecos. Lá protagonizou grandes atuações em 67 partidas e anotando 57 gols.

A partir de 2000 até 2009, atuou por 12 times diferentes na Argentina, Uruguai, México, Espanha, Israel e Grécia. Destaque especial para as duas ocasiões em que defendeu seu time (naquela época o único) do coração: o Nacional em 2001 e 2004 e o River Plate em 2008/2009.

Nestas dez temporadas, sempre deixou sua marca: jogou 311 partidas e anotou 199 gols.

CHEGADA NO GLORIOSO E RECEPÇÃO POMPOSA

Chegou a General Severiano em 2010, assinando um contrato de dois anos.

Loco foi recebido pomposamente em nossa Sede em 06/01/2010. A adoção pela camisa 13, naturalmente indicou seu cicerone e anfitrião naquele dia: Zagallo.

O velho Lobo parecia profetizar o futuro: dizia ele na ocasião que Loco tinha tudo para entrar na galeria dos grandes ídolos do clube.

SUPERSTIÇÕES TÍPICAS DE UM ALVINEGRO

Naquele dia creio que nem nós, nem Loco Abreu sabíamos o quanto de afinidade nós tínhamos. E superstições? Como um legítimo alvinegro que não escolhe, foi escolhido, Loco tem várias. Algumas delas são:

Após o intervalo das partidas, ele é sempre o último a entrar em campo;

Na concentração, senta-se sempre à mesma mesa nas refeições;

Toma banho sempre no mesmo chuveiro;

Nas viagens de avião senta perto da saída de emergência lateral, embora saibamos que é onde há mais espaço para esticar suas pernas e acomodar seus 1,94 m;

Já no ônibus senta sempre na região central do veículo, na janela.

O APELIDO

Segundo suas próprias palavras, “é um apelido de infância, de quando comecei nas categorias de base do Nacional”…”na base, vivia fazendo brincadeiras”. De fato, com o passar do tempo, o apelido se incorporou em sua personalidade futebolística proporcionando um interessante contraste da sua marcante seriedade e profissionalismo, com o sarcasmo e irreverência na hora certa.

INÍCIO DA HISTÓRIA E ESTREIA PARA ESQUECER

A estreia é de registro triste: 24/01/2010, Botafogo 0 X 6 Vasco da Gama. Loco foi substituído no intervalo e o técnico Estevam Soares demitido após o jogo.

No jogo seguinte, três dias após, Jair Ventura como interino e aguardando a chegada de Joel Santana que nos conduziria ao título Carioca de 2010, teve que sacá-lo após Leandro Guerreiro ser expulso aos 24 minutos do segundo tempo. Começávamos nossa recuperação ali, ganhando por 2 X 1, nossos gols anotados por Herrera e Antônio Carlos.

Seu primeiro gol com nosso manto foi no jogo seguinte em 30/01/2010 quando ganhamos do América por 2 X 1. O outro foi marcado por Caio.

TRÊS GOLS NO MESMO JOGO? TEM QUE LEVAR A BOLA PARA CASA

Enquanto vestiu nossa camisa, em três ocasiões Loco pode aumentar a sua coleção particular de bolas. Ele sempre leva para casa a bola do jogo quando marca 3 gols.

07/02/2010 – Botafogo 5 X 2 Resende (os 3 gols foram de cabeça e os outros 2 foram anotados por Marcelo Cordeiro e Wellington Junior);

29/03/2010 – Botafogo 4 X 1 Boavista (o outro foi de Marcelo Cordeiro);

21/04/2012 – Botafogo 4 X 2 Bangu (o outro foi de Maicosuel).

 

O TÍTULO DE 2010, A CAVADINHA E A RECUPERAÇÃO DA AUTO ESTIMA

Após conquistarmos a Taça Guanabara em 21/02/2010 ganhando do Vasco por 2 X 0 com Loco e Fábio Ferreira marcando nossos gols, mais um dia inesquecível em nossa história estava por vir: na gloriosa tarde de 18/04/2010, 60.748 pessoas presenciaram no Maracanã nós garantirmos a conquista da Taça Rio e nosso Título Estadual de 2010, ganhando do Flamengo de 2 X 1.

Num jogo nervoso, após 15 cartões amarelos e 2 vermelhos (Maldonado e Herrera), e depois de 3 vice-campeonatos para lá de duvidosos (em especial o de 2007) contra o mesmo adversário, merecidamente fomos campeões num roteiro digno de cinema.

Todo o time esteve impecável: Herrera com sua valentia e o primeiro gol de pênalti, Jefferson fantástico com defesas seguras e defendendo o pênalti de um Adriano que nunca tinha perdido nenhum em sua carreira até então, um Somália que salvou uma bola quase em cima da linha aos 43 do segundo tempo e todos os demais.

Mas e o Loco Abreu? Com sua presença moral em campo, com seus carrinhos e marcação cerrada nos 10 minutos finais quando a exaustão física afetava a todos e principalmente aos 27 do segundo tempo ao converter um pênalti com uma “cavadinha” histórica, reacendeu o orgulho que estava um pouco adormecido na alma alvinegra.

Sorriso aberto. Certeza do título?

Como bons alvinegros, lembramos ao nosso querido Loco que este gol contra o Flamengo, foi o de número 13 (o da sua camisa!) com nossa camisa e o de número 1.000 do clássico contra nosso arquirrival. Emblemático, não?

UM DNA ALVINEGRO

Loco prova a cada dia sua alma alvinegra.

Com nível cultural e intelectual diferenciados brindava-nos com respostas contundentes e inteligentes, para desespero de profissionais da imprensa despreparados.

Sua personalidade marcante não convivia com omissão ao assumir posições claras dentro e fora do campo de acordo com suas convicções.

Aquele 3 X 2 contra o Fluminense em 06/02/2011 foi emblemático: após perder um pênalti de “cavadinha” facilmente defendido por Diego Cavalieri, poucos minutos após cobra outro pênalti no mesmo estilo e converte.

E apesar de dizer que era uma comemoração qualquer, para nosso delírio, por duas vezes, em dois jogos contra o Flamengo em 2011 (20 de fevereiro e 18 de setembro, dois empates por 1 X 1) comemorou seus gols no impagável estilo “parado na esquina”.

Diz aí Loco… cá entre nós… era por acaso?

A grande área é a minha esquina…

AMOR ETERNO

Em julho de 2012 vai jogar no Figueirense por empréstimo e lá protagonizaria uma cena antológica e sem registro parecido no mundo do futebol: em 09/08/2012 quando o Figueirense perdeu de 0 X 2 para o Flamengo, ao ser xingado e provocado pela torcida rival, foi junto ao alambrado, beijou nosso escudo na camisa que vestia por baixo do uniforme e fez o gesto da “cavadinha”.

Tal ato valeu 1 cartão amarelo e 1 jogo de suspensão sentenciado pelo STJD por “provocação à torcida”, mas provou a todos os alvinegros que em tempos de futebol e posturas unicamente profissionais, ainda há lugar para paixão.

Loco sempre joga com uma camisa personalizada embaixo do uniforme. Nesta “segunda pele” ele carrega suas grandes paixões: reprodução de parte da camisa da seleção de Lavalleja, que era utilizada pelo seu pai Washington Miguel; reprodução de parte da camisa da Seleção Uruguaia; foto dos filhos Valentina e Diego com a camisa do Nacional, tiradas em 2003; escudo do Nacional, clube que é torcedor desde a infância; bandeira do Uruguai e escudo do Botafogo.

Esta honra nós conquistamos após toda a torcida a seu favor na Copa de 2010, quando o Uruguai terminou em 4⁰ lugar, com Loco Abreu tendo participação decisiva na campanha, em especial no pênalti (“de cavadinha”) convertido contra Gana que carimbou a passagem às semifinais.

Bem, não por acaso, escolhemos o dia 13 (Loco Abreu)/07 (Garrincha)/2010 para reiterar sua importância para nós: que outro jogador estrangeiro conseguiu na história do nosso clube centenário e tão tradicional, ser homenageado com uma camisa estilizada mesclando a cor da sua seleção nacional (neste caso a Celeste Olímpica) com nosso amado escudo?

Após 106 jogos e 63 gols, Loco se despede do Botafogo com duas marcas importantes: o segundo estrangeiro a marcar mais gols pelo Botafogo (só superado por Fischer) e como maior artilheiro, até hoje, do estádio Nilton Santos com 41 gols.

SELEÇÃO URUGUAIA

Loco Abreu já marcou seu nome entre os principais jogadores da gloriosa Celeste Olímpica. Após o título da Copa América de 2011, Loco que no pódio do título levou a bandeira alvinegra, contabilizou: 70 jogos e 26 gols (7⁰ maior artilheiro da História).

Nossa bandeira presente em momento marcante.

 

Nossa bandeira registrada no título uruguaio da Copa América 2011

MURO DOS ÍDOLOS

Nós alvinegros sabemos o quanto tocamos seu coração e sua alma ao eternizarmos você na nossa galeria de ídolos. Foi muito bom contarmos com a sua presença, na reinauguração do muro em novembro de 2015.

TEMPOS ATUAIS

Após sair do nosso clube, Loco entre 2012 e 2016 acrescentou mais 111 partidas e 32 gols ao seu currículo, defendendo 5 times de 5 países diferentes, com mais duas passagens pelo Nacional (2013 e 2015).

No começo de 2017 foi contratado como principal estrela do Bangu para o Campeonato Carioca, já deixando sua marca (3 gols nos 4 primeiros jogos) e ultrapassando 400 gols na sua carreira.

Recepção ao ídolo numa tarde de calor escaldante.

ÍDOLO NÃO SE FABRICA. ELE SIMPLESMENTE NASCE…

Querido Loco Abreu: muitos alvinegros desejariam que sua história gloriosa tivesse capítulos mais extensos com a Estrela Solitária.

Mas tenho a presunção de julgar que ela foi perfeita: intensa e marcante como deveria.

Nossa paixão por você foi correspondida e traduzida por respeito, dedicação e amor dentro e fora do campo.

Suas atuações com nosso manto podem ter cessado, mas sua história conosco jamais terminará!

Loco Abreu, ídolo, o maior uruguaio alvinegro. Muchas gracias!

Apenas e Sempre Botafogo! Saudações alvinegras!

 

Pesquisa:

https://esportes.terra.com.br

globoesporte.globo.com

http://www.foxsports.com.br

esporte.ig.com.br

http://www.falaglorioso.com.br

espn.uol.com.br

fogoeterno.wordpress.com

Tribuna do Norte

Wikipédia e arquivos pessoais do autor.

Clique para Comentar

Newsletter

Anúncio Patrocinado

Facebook

%d blogueiros gostam disto: