Luvas em torno 1 milhão, é impasse para renovação de Emerson Santos

Seja o primeiro a comentar

Enquanto ainda tenta fechar o elenco para a temporada, o Botafogo também pensa no futuro. Na última segunda-feira, a cúpula do futebol alvinegro se reuniu com o empresário de Emerson Santos, em General Severiano. Em pauta, uma nova tentativa de renovação com o zagueiro de 21 anos, uma das revelações do clube de maior projeção recentemente e que tem contrato só até dezembro. O impasse, que já dura mais de um ano, pode levar o jogador a perder espaço.

O encontro foi acalorado, considerado “quente” por quem esteve presente, e terminou sem definição. Por ora, a solução parece distante. No momento, as duas partes falam línguas diferentes, e as negociações se arrastam desde março do ano passado. As propostas salariais feitas até hoje não agradaram, mas o maior entrave é o valor exigido de luvas – cerca de R$ 1 milhão em duas parcelas –, considerado alto pelo departamento de futebol.

Esta foi a segunda reunião com Jailton Oliveira, empresário do zagueiro – a primeira foi quando ele virou titular durante o Campeonato Carioca do ano passado. Participaram do encontro o presidente Carlos Eduardo Pereira, o gerente Antônio Lopes, o vice de futebol Cacá Azeredo e o coordenador das categorias de base, Manoel Renha. A diretoria, que busca estender o vínculo até o fim de 2020, elevou os números da oferta inicial e ofereceu 10 vezes mais do que sua atual remuneração. Como nunca renovou desde que foi promovido, Emerson ainda ganha como júnior e tem um dos salários mais baixos do elenco por causa disso.

O caso vem sendo tratado com cautela pelo Botafogo, uma vez que Emerson estará livre para assinar um pré-contrato com outra equipe a partir de julho. Ele subiu para o profissional no final de 2015 e foi titular ao longo de 2016, disputando 48 partidas no total e marcando um gol. Porém, perdeu a vaga para seu xará Emerson Silva e vem treinando no terceiro time atualmente. Na segunda-feira, mesmo com Carli poupado, Renan Fonseca foi quem ficou entre os titulares. Se o imbróglio continuar, a tendência é que o jovem apareça cada vez menos em campo.

BOTAFOGO JÁ MONITORA MERCADO POR ZAGUEIRO

Diante do cenário atual, o Botafogo vem monitorando o mercado por um novo zagueiro. Em dezembro, fez uma consulta por Paulão, do Internacional, mas se assustou com a pedida salarial e praticamente desistiu do negócio. Mas a diretoria segue de olho em oportunidades. Paralelo a isso, a comissão técnica apostou em Igor Rabello, também de 21 anos e que estava emprestado ao Náutico na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, onde fez 15 jogos e dois gols. O jovem agradou, renovou contrato até o final do ano e será observado por Jair Ventura.

Fonte: Globo Esporte

Publicado no dia

Deixe um comentário! 2


  • Jayme Rezende Monteiro disse:

    Acho que o Igor Rabello, tem mais bagagem que o Emerson Santos e digo mais, o Émerson fez aquele gol espírito e depois não conseguiu dar mais um chute. Aproveitem enquanto e’ tempo e usem-no como moeda de troca.
    Ele não tem tanto talento assim pra exigir salario tão alto.

  • Flávio Souza disse:

    Acho q muitos jogadores deveriam aprender o significado de duas palavras, RESPEITO e GRATIDÃO, pois quase todos passam por enormes dificuldades chegando a ter várias recusas em peneiras, por exemplo, o salário oferecido ao LH e ao Emerson já irrita somente pela situação do nosso povo, mas escutam o empresário q visam o lucro, porém esquecem q o clube lhe deu oportunidade e não quer torná-lo “preso” ao clube, mas essa renovação é a mesma q permite o clube lucrar, por isso um salário melhor para ter uma multa mais alta em caso de venda. A situação de noso clube continua crítica e dessa geração apenas lembro do Dória mostrando gratidão e respeito pena q com o presidente errado. Os outros, Vitinho, Gabriel, Daniel, LH, etc, apenas visaram o lucro pessoal e do empresário esquecendo q os mesmos são e seriam importantes para uma recuperação do clube e até permitir ter a continuidade de formação de outras atletas, pois todos sabem da dificuldade, o LH, por exemplo foi dispensado pelo Flamengo.