Marcos Paquetá é o novo técnico do Botafogo

Seja o primeiro a comentar

Acertado com o Botafogo desde a sexta-feira passada, Marcos Paquetá, enfim, conseguiu sua liberação do Pune City, da Índia, e é oficialmente o novo treinador alvinegro. O contrato é válido até dezembro de 2019. O clube, via redes sociais, fez o anúncio nesta terça-feira. Ao site oficial do Alvinegro, Paquetá celebrou o acerto.

– O torcedor pode esperar muita motivação e trabalho. Recebi muito bem o interesse do Botafogo em contar com meu trabalho, uma grata surpresa e sem dúvida foi minha primeira opção. O momento é de transição e é preciso que todos estejam juntos, time e torcida. Sei que o torcedor do Botafogo é exigente e vejo isso de forma justa devido aos grandes nomes que passaram por aqui e por tudo que esse clube representa no futebol – disse Marcos Paquetá.

Marcos, de 59 anos, e com disputa de Copa do Mundo no currículo – em 2006, à frente da Arábia Saudita -, o treinador será apresentado nesta quinta-feira, às 16h, no Estádio Nilton Santos.

Vitorioso na base e com longa passagem pelo futebol árabe
Apesar de ter dirigido apenas duas equipes profissionais no Brasil: Flamengo, em 1995, e Avaí, em 2004, Paquetá tem larga experiência no exterior e comandando times de base.

Foi campeão mundial com as seleções do Brasil nas categorias sub-17 e sub-20, por exemplo. Fora do país desde 2004, dirigiu times da Arábia Saudita, Catar e Emirados Árabes.

Treinou duas seleções no Oriente Médio: a Arábia Saudita, com quem disputou a Copa do Mundo de 2006, e a Líbia. Seu último trabalho foi no Al Shorta, do Iraque.

Dois principais nomes do futebol alvinegro, Anderson Barros e Gustavo Noronha são entusiastas do nome de Paquetá. Anderson, aliás, trabalhou com o treinador na base do Flamengo.

Confira outras palavras de Paquetá ao site oficial do Botafogo abaixo:

Experiência no Botafogo de 20 dias em 2017
Logicamente foi uma coisa marcante, até pela conversa com o então Presidente Carlos Eduardo Pereira. Tive a oportunidade de ver a grande motivação dele por trabalhar com a base, uma coisa que o Botafogo sempre teve e que trabalha para resgatar com ainda mais força. É fundamental formar jogadores identificados com o clube. Quando fiz a Licença Pro da CBF, em 2017, fiquei vinte dias no Botafogo. Escolhi o clube até por conta da estrutura e foi muito legal. Essa aproximação foi muito interessante.

Momento ideal para se chegar ao clube durante a parada
Isso é importante para qualquer treinador, até mesmo para o que trabalha no Brasil, por conta da tamanha rotatividade de jogadores nas equipes. Acredito que esse seja o momento ideal para chegar e iniciar o trabalho. Gosto de trabalhar muito com o mental do jogador, o que é muito importante nas competições que jogamos, sem disparidade entre as equipes. Exige jogadores preparados e a minha intenção é fazer com que todos os jogadores assimilem todas as suas funções em campo, tanto pessoal quanto coletivo. A base do trabalho é que todos entendam sua importância para o grupo.

Fonte: Globoesporte.com

Publicado no dia

Deixe um comentário! 0