Redes Sociais

Colunas

O QUE ESTÁ POR TRÁS DO ESTRONDOSO SUCESSO DO REMO

Publicado

em

As regatas são o esporte que em conjunto com o futebol, trazem muito mais do que glórias: eles são corresponsáveis por definirem a identidade alvinegra e compõem o “sobrenome” do nosso amado Glorioso.

Sim, somos “Botafogo de Futebol e Regatas” com muito orgulho!

UMA BELA HISTÓRIA DE TRADIÇÃO E MUITAS DIFICULDADES

 Nosso remo, desde os tempos de Clube de Regatas Botafogo, nos presenteou com o primeiro título ainda no século XIX: Campeonato Estadual em 1899. Depois fomos campeões brasileiros em 1902 e aí…

Remadores do Clube de Regatas Botafogo, provavelmente em 1900 (crédito: Mundo Botafogo)

… os Botafogos fundiram-se em 1942: deixam de existir Clube de Regatas Botafogo e Botafogo Futebol Clube. Nasce o Botafogo de Futebol de Regatas com o escudo mais bonito do mundo.

Mas até à fusão, só tínhamos os títulos de 1899 e 1902 nas categorias principais. Depois, só conseguimos mais 3 campeonatos cariocas na década dos sonhos para todos os esportes do clube: a de 60. Fomos campeões em 1960, 1962 e 1964.

As regatas alvinegras remavam em águas turbulentas que pareciam não ter fim: viemos atravessando um difícil e longo período, marcado por alguns campeonatos estaduais de categorias e barcos pontuais (outriggers – 25 títulos de algumas formações específicas entre 1933 e 1967; single & double skiff – 11 títulos entre 1944 e 1962; 8 títulos estaduais femininos entre 1986 e 1998 e alguns títulos em outras categorias: infantil, infanto juvenil, juvenil, sênior, junior, estreantes, principiantes e novíssimos).

Apesar das participações honrosas, a deterioração vagarosa e constante da estrutura incomodava e tornava impossível almejar conquistas de peso novamente.

A RETOMADA 

Em 2009 a evidente carência de equipamentos e de uma infraestrutura condizente com as tradições do clube, parecia condenar o remo alvinegro a um mero registro biográfico de sua história passada.

Porém o início do trabalho de Marcelo Murad, inicialmente como VP de Remo e depois como diretor de remo, e a volta de Alexandre Xoxô como técnico do clube, parecia sinalizar que uma luz no fim do túnel finalmente se acendia e não era um trem vindo em sentido contrário…

TRABALHO MUITO DURO

 Inicialmente com uma flotilha de barcos chineses, e depois com barcos doados, seguiu-se com a atualização de nosso equipamento através de projetos baseado em Lei de Incentivo ao Esporte nos âmbitos estadual e federal. Assim, o Botafogo podia pelo menos participar das competições honrando suas tradições, desde que trabalhasse muito mais que os concorrentes na captação, formação e treinamento de atletas.

COMO ATRAIR ATLETAS?

Deixando para trás um longo período de ostracismo, o Glorioso devagar começava a atrair novos atletas, na medida em que mostrava uma nova infraestrutura de equipamentos, uma administração que cumpria o que falava e tinha por trás disto tudo uma equipe técnica de treinamento respeitada e que sabia o que fazia.

Este parágrafo pode ser resumido em uma palavra: confiabilidade.

Xoxô: de timoneiro a mestre do remo (crédito: Mundo Botafogo/Johnny Regatas)

 

Paulo Vinícius de Souza (Paulinho): trabalho fundamental nos treinamentos. Tradução de quando todas as peças de um quebra cabeças fenomenal devem se encaixar perfeitamente, senão algo vai dar errado. (crédito: Vinteum/Rádio Botafogo)

E OS RESULTADOS COMEÇAM A APARECER

 No esporte como na vida, a combinação de talento e muito trabalho duro, ou se preferirem “10% de inspiração com 90% de transpiração”, é uma simbiose fadada ao sucesso.

Parâmetros de treinamento foram simplesmente muito superados. Os remadores alvinegros atualmente treinam em 2 turnos e remam (impensáveis até pouco tempo atrás) mais de 40 km diários.

 E o nosso amado Botafogo começa a enfileirar uma sequencia irresistível de títulos: penta campeão carioca (2013/2014/2015/2016/2017) e no último fim de semana (de 20 a 22 de outubro) com cobertura da Rádio Botafogo e  da Vinteum Produções, testemunhamos a conquista do Campeonato Brasileiro de 2017, conquistado sem dar nenhuma chance aos adversários: ganhamos 16 ouros em 22 possíveis..

Foi a conquista do quinto título brasileiro após a retomada: agora temos os títulos nacionais de 1902/2010/2013/2014/2016/2017.

Nem vamos mencionar os motivos que levaram as equipes cariocas (as maiores formadoras e mais fortes do Brasil) a boicotarem o Campeonato Brasileiro de Remo de 2015, porque não é assunto que caiba aqui.

Mas pergunto a você, orgulhoso alvinegro, você tem alguma dúvida de quem seria campeão se todas as equipes tivessem participado?

Marcelo Murad comemorando o título de 2014 (crédito: Botafogo – wordpress.com)

ATLETAS: SEM A DEDICAÇÃO E TALENTO, NADA SERIA POSSÍVEL…

A seguir nossos participantes no Campeonato Brasileiro de 2017:

AILSON ERÁCLITO DA SILVA

BERNARDO BEVILAQUA  FÖLDES GUIMARÃES

BERNARDO TIMM BOGGIAN

BIANKA MIARKA

BRENO AZEVEDO DE OLIVEIRA

CARIANE SANTOS CONCEIÇÃO

CARLA CAROLINA SANTOS SILVA

DAIANE GOMES ARRUDA

DANIEL AFONSO KELLY DA SILVA

DAYANE PACHECO DOS SANTOS

DIEGO DONIZETE NASARIO

ELINEUTO VIEIRA ABREU

EMANUEL DANTAS BORGES

ERIK DOS ANTOS OLIVEIRA

EVALDO MATHIAS BECKER MORAIS

EVELYN MARICEL SILVESTRO

FABIO JOSÉ SANTANA MOREIRA

FELLIPE REYSON DE SOUZA XAVIER

GABRIELLE LOPES PEREIRA

HEITOR DOS SANTOS ARAUJO

ISABELLA COSTANZA IBEAS

LEANDRO TINDARO COSTA DE SOUZA

LUCAS BERNARDINO DE ARRUDA DE LIMA

LUCAS VERTHEIN FERREIRA

LUIZ FELIPE FARIA

MARCIEL MORAIS SOUZA

MARIA SOL ORDAS

MARLON ANDRÉ DA SILVA AVELINO

MELQUIADES PINHO PAIVA NETO

NATHALIA PEREIRA BARBOSA

RUTI SANTOS BARRETO

SAMUEL BATISTA BARBOSA

SANTIAGO IBEAS

THALITA ROSA ALVES

THIAGO FRANCISCO DA SILVA

UNCAS TALES BATISTA

YASMIM DE ALMEIDA DOS SANTOS

Aquele momento de extravasar e curtir a sensação de dever cumprido: Hexa brasileiros ! (crédito: www.remobrasil.com.br)

 

O “Oito com” comemora mais uma medalha de ouro e o título brasileiro com a torcida: timoneiro – Erick dos Santos Oliveira; Ailson Eráclito da Silva, Evaldo Mathias Becker Morais, Lucas Verthein Ferreira, Uncas Tales Batista, Fábio José Santana Moreira, Daniel Afonso Kelly da Silva, Emanuel Dantas Borges e Diego Donizete Nasario. (crédito: www.remobrasil.com.br)

MAIS ESCOLHIDOS, E OUTROS SERÃO…

Uncas Tales Batista, nosso remador com o nome de índio do filme “O Último dos Moicanos”, nos dá a certeza que não será o último de uma dinastia de vencedores e dentro da nossa galeria de estrelas, tornou-se campeão mundial cumprindo o destino que já conhecemos tão bem: o Botafogo nos escolhe.

O mineiro de Belo Horizonte, quando mudou para cá com a família, encantava-se diariamente com o trajeto que fazia a pé para a escola na Lagoa Rodrigo de Freitas, até que um dia tomou coragem e entrou na nossa sede do Sacopã “por curiosidade e para preencher o tempo” e o resto da história está sendo contada e ainda longe de terminar: talento, foco, determinação, técnica e muito suor forjaram nosso campeão mundial.

Hoje, quando assediado com propostas financeiras bem mais vantajosas dos nossos rivais, (fato que se repete com outra estrela de nossa constelação: Lucas Verthein Ferreira), tanto Uncas quanto Lucas parecem já ter compreendido (e podem ensinar a muitos) que dinheiro é importante, mas não é tudo: ele tem que existir somado a amor, acolhimento, dedicação e honra… será que todos entendem porque eles ainda continuam alvinegros?

Estrelas de primeira grandeza no remo mundial. (crédito: Botafogo – wordpress.com)

E O FUTURO ?

Em conversa descontraída com Marcelo Murad, soubemos da “fórmula” para o futuro imediato, além do trabalho técnico e duro de alto nível: atualização dos nossos barcos que já estão ficando defasados em relação aos rivais que cumpriram um programa ambicioso de investimentos em 2017 (não só por necessidade, mas pelo desespero de conviver com uma hegemonia alvinegra esmagadora).

Ainda estamos ganhando com folga porque os barcos não se movem sozinhos… mas nossos campeões merecem o máximo.

Se conseguirmos, poderemos transformar em realidade o sonho dos nossos atletas, traduzido na declaração do nosso campeão mundial após o hexa brasileiro: “meu sentimento é que quero buscar o hexa carioca e o hepta brasileiro em 2018”… palavras proferidas sem nenhuma empáfia, ao contrário, com a humildade que só os verdadeiros campeões possuem e que sabem exatamente o que querem e aonde podem chegar.

Apenas e Sempre Botafogo ! Saudações Alvinegras !

crédito foto principal: Johnny Regatas

Clique para Comentar

Newsletter

Anúncio Patrocinado

Facebook

%d blogueiros gostam disto: