Redes Sociais

Colunas

Pimpão dá a receita para encarar o Colo-Colo no Chile

Publicado

em

O gol sofrido contra o Colo-Colo na vitória por 2 a 1, na quarta-feira, ainda é muito lamentado nos corredores do Botafogo. Após o treino da tarde desta quinta, Rodrigo Pimpão disse que o grupo sabe do desafio que terá no jogo da volta, no Chile, mas também chega muito motivado para o confronto que decidirá a classificação para a próxima fase da Libertadores. E, segundo ele, para conseguir a vaga, o time precisa repetir a mesma atuação que teve no primeiro tempo.

– Mesma vontade que entramos no primeiro tempo. A gente sabe que erramos durante a partida e tudo será corrigido essa semana. Lamentamos ter tomado o gol, pois um gol fora de casa nesse tipo de competição conta muito, mas o importante é que conseguimos a vitória. Vamos para o Chile de cabeça erguida para conseguir a classificação.

Com o resultado, o Botafogo pode empatar que volta com a vaga na próxima fase. Para isso, vai precisar conter a pressão dos chilenos, que prometem lotar o Estádio Monumental. E, dentro de campo, segurar um adversário que vem melhor fisicamente.

– Eles estão no meio da temporada e já tiveram oito jogos juntos. Nós estamos no início e buscando a melhor forma para que a gente consiga colocar a melhor equipe. Tanto que tivemos uma queda no segundo tempo. O Botafogo tem um grupo muito forte. Quem chegou vem entendendo o projeto e o método de treinamento do técnico (Jair Ventura). Foi apenas o terceiro jogo junto desse time e esperamos crescer muito ainda.

E a desculpa faz sentido. Desde o dia 11 de janeiro, quando o elenco se apresentou em General Severiano, Jair Ventura só teve a chance de fazer três jogos até a estreia na Libertadores. O primeiro foi na goleada por 4 a 0 sobre o Rio-Branco-ES, no amistoso em Cariacica. Depois, os dois primeiros jogos do Carioca, sendo que o treinador não conseguiu escalar a equipe ideal em nenhum deles. O Zagueiro Carli, por exemplo, esteve fora em todos os confrontos e ainda se recupera de um desequilíbrio muscular.

Confira os outros tópicos da entrevista coletiva:

Cobrança de falta de Camilo

– Até conversamos após o jogo. Foi uma falta perigosa. A gente olha a bola entrando no gol. Isso faz parte. Tivemos poucas oportunidades no segundo tempo, mas levamos perigo.

Lesão de Airton

– Cheguei hoje e ele já estava no vestiário. Acho que foi o primeiro a chegar e estava feliz. Fez o primeiro gol pelo Botafogo, até se emocionou na comemoração. É um jogador de grupo, que vive um grande momento e esperamos que ele se recupere para que possa nos ajudar.

Atuação do Marcelo

– Marcelo é um menino que subiu nos treinamentos com muita personalidade, sempre mostrando vontade e arriscando e conseguiu a vaga em um jogo do Carioca. Tem muito a crescer e acrescentar para nossa equipe. Temos um grupo com jogadores experientes que pode ajudá-lo nesse momento. Ele se superou muito bem e fez um grande jogo.

Apoio da família

– Foi meu primeiro jogo de Libertadores e é muito importante ter minha família aqui. Ele (filho) se emociona ao ver o estádio cheio, hoje diz que é Botafogo, sabe cantar o hino inteiro e é meu grande amuleto.

Ausência de Sassá

– Converso com todos os jogadores, mas essa situação do Sassá fica para a diretoria resolver. É um grande jogador, mas deixa para a diretoria.

Cabeça no Carioca

– Não podemos abandonar o Carioca. É importante, sim. Esperamos conseguir um bom resultado no sábado. Sabemos das qualidades do Macaé, tem um treinador que já passou por aqui e conhece o Botafogo. Precisamos entrar com atenção.

Fonte: globoesporte.com.br/botafogo

Clique para Comentar

Newsletter

Anúncio Patrocinado

Facebook

%d blogueiros gostam disto: