Redes Sociais

Bruno Antunes

SONHO POSSÍVEL, KORINGA SIDÃO E REGULAMENTO

Publicado

em

Definitivamente, posso afirmar com toda a certeza, que não há como cravar nada sobre esse campeonato imprevisível. Da qualidade dos times ao regulamento, nada nesse campeonato segue um raciocínio lógico coerente.

O último vencer algum dos integrantes do G4, gigantes que nunca foram rebaixados e que não saem da zona de rebaixamento este ano, equipes com relevância local realizando boas campanhas… No Brasileirão 2016, tudo pode acontecer e a certeza dessa rodada pode se tornar dúvida na rodada seguinte.

Mais um exemplo dessa imprevisibilidade veio esta semana com a notícia de que o campeonato pode deixar de ter um G4 e passar a ter um G5 devido à reformulação da Libertadores por parte da Conmebol.

Desta forma, o Botafogo que hoje está a 7 pontos da classificação à Libertadores, pode sonhar com a vaga de forma muito mais contundente.

Essa mudança de fato altera completamente as chances de vários clubes irem à Libertadores e nos recoloca na briga por essa vaga com maiores chances de conquistá-la, pois a diferença de pontos necessários neste cenário cairia para 5 pontos.

Além disso, caso o vencedor da Copa do Brasil seja um dos integrantes deste G5 (atualmente Palmeiras, Atlético-MG e Santos se enquadram nestes possíveis) e o campeão da SulAmericana não seja um time brasileiro (Coritiba e Chapecoense ainda tem chances de levar o título), esse G5 se tornaria um G6 e, neste caso, estamos a 1 ponto da vaga na Libertadores. Isso mesmo!!!

Caso a mudança no número de vagas para todos os países se confirme, o Brasil ganharia mais uma vaga e bastaria que Coritiba e Chapecoense fossem eliminados do torneio continental e um dos integrantes do G5 vencesse a Copa do Brasil para que esse G6 se torne realidade.

De um sonho considerado até utópico por parte da torcida (inclusive eu) à realidade bem plausível, a vaga na Libertadores se apresenta ao Botafogo como um objetivo a ser alcançado e como um prêmio à superação desse elenco durante todo o ano.

Vamos acreditar, basta seguirmos nessa boa campanha que estamos fazendo no segundo turno. 18 pontos em 9 jogos é campanha de time campeão e se seguirmos nessa pegada, prevejo gastar todas as minhas milhas em passagens pela América do Sul em 2017.

Para que o sonho permaneça vivo e possível, as vitórias são fundamentais e ontem buscamos mais três pontos em uma de nossas muitas casas disponíveis.

O Botafogo iniciou com: Sidão, Alemão, Carli, Emerson Santos, Victor Luis, Bruno Silva, Lindoso, Diogo Barbosa e Camilo, Neilton e Vinicius Tanque. Entraram: Rodrigo Pimpão (Diogo Barbosa), Dudu Cearense (Neilton) e Luis Henrique (Vinicius Tanque).

Da escalação inicial, não gostei nem um pouco da surpresa de Vinicius Tanque como o homem-gol desse time, até porque essa expressão em nada tem a ver com o futebol até hoje apresentado por este garoto e a quantidade de chances desperdiçadas por ele durante o jogo só ratificaram minha opinião.

O Botafogo começou mostrando quem era o dono da casa e já partiu em busca dos três pontos desde o início do jogo.

Aos 4’, Bruno Silva tentou novamente fazer o seu gol de bicicleta para viajar com o Camilo e disputar o Prêmio Puskas e novamente errou o lance. Alguém precisa avisar a ele que é necessário ter a competência do Camilo ou a qualidade do Sidão para executar um lance como esse da maneira correta.

Aos 8’, Vinicius Tanque perdeu grande chance em boa trama alvinegra com um peteleco como finalização.

Aos 18’, Neilton recebeu em condições, fez o gol, mas o juiz anulou incorretamente alegando impedimento inexistente do atacante no lance.

Aos 23’, Neilton dividiu a bola com o zagueiro do Corinthians que espirrou o taco ao tentar cortar e deu a bola açucarada para o Vinicius Tanque que voltava de impedimento, livre, receber em condições e só rolar para o Neilton com um lindo toque por cobertura abrir o placar. 1 x 0 para o Glorioso de General Severiano.

Aos 38’, o segundo. Joel Carli lançou Diogo Barbosa em profundidade e o lateralzinho dos gambás tentou tirar de calcanhar, dando um presente para o Diogo Barbosa que matou a bola meio com o peito, meio com o braço colado ao corpo, e fuzilou para ampliar nossa vantagem. 2 x 0 Botafogo.

Aos 46’, ainda tivemos chance de ampliar com Vinicius Tanque de fora da área em lance que desviou na zaga adversária.

Fim de um primeiro tempo excepcional do Botafogo e de uma vitória justa e merecida até então.

Logo na volta do intervalo, Diogo Barbosa que havia sofrido uma entrada dura no fim do primeiro tempo, pediu para sair e Pimpão foi chamado.

Aos 9’, o homem do apito inventou uma penalidade para o time paulista da CBF e brilhou a estrela do nosso MC Koringa, ou melhor do nosso Sidão, que pulou no canto direito e não deixou o zero do lado de lá sair do placar. Foi o segundo pênalti defendido pelo nosso paredão em menos de 15 dias, comprovando que o Botafogo tem os dois melhores goleiros do país no seu elenco.

Aos 16’, Neilton pediu para sair e Dudu Cearense veio reforçar o meio-campo alvinegro, o que acabou trazendo um pouco o Corinthians para o nosso campo.

Os gambás continuaram tentando diminuir o placar, mas não criaram nenhuma oportunidade clara de gol.

Aos 32’, Luis Henrique entrou no lugar de Vinicius Tanque e o Botafogo foi cozinhando o jogo até garantir os três pontos sem maiores problemas após o apito final.

Excelente vitória. Fomos superiores na primeira etapa e jogamos com inteligência e maturidade no segundo tempo, fazendo valer nosso mando de campo.

Os destaques do jogo foram:

– Sidão: Garantiu que tivéssemos uma partida tranquila ao defender o pênalti em um momento decisivo do jogo.

– Alemão: Começou o jogo nervoso, o que é natural para quem está estreando e sente pela primeira vez o peso dessa camisa, mas foi crescendo no jogo e fez um segundo tempo muito bom.

– Carli: Ganhou todas pelo alto e dá uma consistência defensiva impressionante ao time.

– Emerson Santos: Jogando ao lado do Carli sobe muito de produção e costuma fazer boas partidas.

– Victor Luis: Dono da lateral esquerda, sendo eficiente na marcação e perigoso quando sobe ao ataque.

– Bruno Silva: Tirando a patética bicicleta no primeiro ataque do jogo, foi muito bem na marcação ali no meio-campo e não deixou o Corinthians criar quase nada.

– Lindoso: Um pouco mais discreto, mas jogando para o time, também compôs a marcação do meio com qualidade.

– Diogo Barbosa: Fez sua melhor partida na nova função, não só pelo gol, mas pela efetividade de suas ações. Na minha opinião, não deveria voltar à lateral esquerda, pois tem futuro nessa posição de meia.

– Camilo: Não fez uma de suas melhores partidas, mas é nosso regente ali no meio e tem muito crédito.

– Neilton: Destruiu a zaga do Corinthians no primeiro tempo e foi o melhor enquanto este em campo.

– Pimpão: Entrou improvisado como meia esquerda e demonstrou a vontade de sempre para ajudar na marcação da saída de bola adversária e se doou para executar da melhor maneira possível a função que lhe foi designada.

– Jair Ventura: Não gostei da escalação de Vinicius Tanque como centroavante, mas mesmo com essa escolha infeliz, vencemos com autoridade e superioridade.

Tiveram erros e acertos:

– Dudu Cearense: Não comprometeu o resultado, mas não foi tão eficiente na marcação quanto se esperava depois de sua entrada.

– Vinicius Tanque: Perdeu ao menos duas chances claras de gol e ficou em impedimento 480 mil vezes ao longo do jogo, mas demonstrou vontade durante toda a partida e deu o passe para o primeiro gol, já fazendo mais do que o Canales desde seu desembarque no Brasil.

Não consigo entender:

– Luis Henrique: Teve 15 minutos para tentar demonstrar alguma coisa e o que se viu foi a mesma falta de empenho e vontade dos últimos jogos.

Enfim, a vaga na Libertadores pelo G4 era um sonho distante que está se aproximando à medida que a possibilidade de termos, na verdade, um G6 vem aumentando.

Com essa mudança de regulamento e a imprevisibilidade do campeonato, a manutenção na série A se mostra muito pouco para um time que vem fazendo esse segundo turno.

Precisamos acreditar que é possível, torcida, jogadores, diretoria e comissão técnica e juntos vamos novamente mostrar aos hermanos do continente a volta do gigante como bem citou a Conmebol em 2014.

gigante

O próximo desafio é domingo que vem às 17:00 contra um time que está lutando para não cair, o Figueirense fora de casa.

Eu aproveito para informar a todos vocês que estou saindo de férias e só retorno no fim do mês. O nosso amigo Bruno seguirá escrevendo a coluna após os jogos.

Eu seguirei mantendo contato com vocês através de nossa página no Facebook e espero voltar de viagem com o Botafogo ainda mais perto da vaga do torneio continental.

Sigamos juntos e acreditando que podemos atingir nossos objetivos e tornar o que parecia apenas um sonho em realidade.

Por fim, volto a te convidar a conhecer os novos planos de sócio torcedor do Botafogo. Por apenas R$ 13,90, você ajuda nosso clube e tem uma série de benefícios no plano básico. O clube baixou os preços dos pacotes e agora os novos valores são: R$ 100,00 (arquibancada Norte), R$ 195,00 (arquibancada Leste) e R$ 390,00 (Social) para todos os jogos restantes com mando de campo do Botafogo no Campeonato Brasileiro.

Associe-se em Sou Botafogo. O Botafogo somos nós e precisamos participar do processo de soerguimento do clube.

Saudações alvinegras! – Curta, comente e compartilhe!

Minhas redes sociais:

Twitter: @thiagoantunesc

Facebook: Nosso Escudo no Lugar do Coração

Curta a página e coloque nos seus favoritos!

Se você gostou, espalhe esta coluna pelas suas redes sociais e nos ajude na divulgação deste espaço.

Sigo com minha bandeira na mão e nosso escudo no lugar do coração!

Bruno Antunes

Clique para Comentar

Newsletter

Anúncio Patrocinado

Facebook

%d blogueiros gostam disto: